MEL – Adoçante natural

MEL – Adoçante natural

Seguramente é para a maioria dos homens uma novidade ouvir que a abelha, tão diligente e incansável, tem que recorrer a 15 milhões de flores para ajuntar um quilo de mel.

Trabalhando  oito horas diárias, necessitaria o homem, para conseguir a mesma quantidade, justamente 3.000 dias.

O caminho que teria que percorrer para isso seria tão grande que poderia dar muitas vezes a volta pelo mundo. Disto  deduz-se  que, para o homem, é impossível produzir mel. Esse é o trabalho das abelhas, as quais o fazem verdadeiramente de maneira surpreendente, com uma diligência e capacidade de trabalho que não se pode igualar.

Se pois refletimos que grande poder da cura se encontra  muitas vezes em uma só espécie de flores, então podemos imaginar agora mais ou menos o grande poder curativo que possui o  mel puro.

Segundo a sua composição, deduz-se que o mel deve ser um extraordinário meio de cura para muitas enfermidades, e não somente para resfriados, tosse, etc, como crê a maioria dos homens. O mel era considerado já no tempo antigo como um meio de cura universal.

Por que não deveria ocupar hoje novamente o mesmo lugar? Considerando seu excelente, forte e saudável efeito, há todos os motivos para conceder-lhe novamente um lugar elevado entre os meios de curas naturais.

De nossa parte, cumprimos o dever aconselhando simplesmente, a sãos e enfermos, usar o mel em suas refeições diárias, pois ele é apropriado para quase todas as enfermidades. Nunca pode prejudicar, mas sim trazer vantagem para que os sãos se mantenham sãos e os doentes recebam seus poderes curativos para vencer bem a enfermidade.

O mel natural de abelhas tem um efeito emoliente, remove o pus, acalma e facilita a digestão, vivifica e fortifica o peito, nervos e pulmões. Em  todas as feridas, inflamações  pustulosas, contusões e má supuração, vale o mel como o melhor e mai seguro meio para adiantar o amadurecimento de abcessos e furúnculos. No tratamento de feridas o mel ganha, pelo menos como um meio mais barato e cômodo, a melhor recomendação, a saber:

Pode-se aplicar em casos especiais uma atadura com pasta de mel. A massa consiste, neste caso, em mel e farinha preparados como uma pasta. Essa atadura é conhecida como meio popular especialmente para fazer amadurecer os tumores e inchações, e acalmar a rigidez e a dor. O mel forma em todos estes casos um meio absolutamente seguro para curar e fechar ao mesmo tempo a ferida, devido à sua propriedade pegajosa. Molhando ligeiramente  com água essa atadura, pode-se tirá-la facilmente, pois o mel ou a pasta do mesmo é facilmente dissolúvel.

Empregando-se mel em lugar de iodofórmio e ácido fênico, não há necessidade de ter o menor receio de que a atadura possa trazer consequências desvantajosas.

Uma revista médica comenta sobre isso como segue:  “ O mel doce e puro de abelhas é hoje verdadeiramente um bálsamo sobre as feridas graves e supurantes”.

Também em outras revistas foi confirmado,  repetidas vezes, que se abriam nos  últimos  anos  caminhos  completamente  novos no tratamento das feridas. Quase já desapareceu completamente o pincel de iodo tão usual,  como também já perdeu muito de sua importância a  atadura umedecida com terra argilosa e ácido de vinagre. O método  empregado  na  velha  medicina  popular é aquele com mel. Tratam-se  feridas velhas e supurantes queimaduras,  furúnculos e cabúnculos. No principio, ao aplicar-se o mel, sentem-se breves dores que desaparecem  rapidamente. O efeito do mel se pode explicar pelo  fato de importantes substâncias de vida, contidas no corpo, e produtos das glândulas internas, os hormônios

serem postos em atividade pelo mel, o qual contém ainda ácidos  desinfetantes de plantas que provocam o crescimento, sais minerais, etc.. Em todos os informes menciona-se e especial maneira a rápida limpeza das feridas com o mel”.

Já mencionamos que o mel misturado com barro (terra) é uma pasta que cura até os mais graves tumores.

Misturando-se ainda com cebola bem picada, os tumores amadurecerão mais rapidamente. Isto não passa sem dores, porque este meio amadurece os furúnculos e elimina o pus. Mas logo vem, muito rápida e sem perigo, a cura. Depois de sair o pus, deixam-se as cebolas e aplica-se somente a pasta de barro e mel; também uma pasta preparada com barro e azeite de amêndoas presta neste caso excelente serviço.

Se o mel é um fator de limpeza e cura tão poderoso para o exterior, um meio que cura muitas classes de impurezas, então também deve fazer esse trabalho internamente, quando ingerido. E isto não deixa dúvida. O que poderia ser melhor do que comer regularmente mel, tão agradável pelo seu maravilhoso aroma e doçura natural? Sendo comprovado que o mel provoca a atividade das glândulas internas, o homem  tem que saber o que  fazer para que estes importantes órgãos permaneçam ativos e saber que devem comer regularmente mel puro de abelhas,  pois o verdadeiro e bom funcionamento do corpo humano depende de boa e verdadeira atividade das glândulas.

Produzem-se muitas e graves enfermidades, se esses pequenos mantenedores da vida do corpo humano não podem prestar seu completo serviço. Não podem deixar seu trabalho e descansar, como faz diariamente o homem; sua atividade tem que ser continua, para manter o próprio homem ativo, forte e são.

Por isso é muito justificado o chamado que se faz de colocar outra vez em primeiro lugar o mel de abelhas, como alimentação diária do povo; é justamente uma necessidade direta para manter a saúde do povo.

Lamentavelmente considera-se o mel na América do Sul somente um medicamento que se pode comprar na farmácia como remédio em pequena quantidade. Quão equivocado é isto, pois existe aqui mel em grande abundância e a um preço reduzido, de maneira que os europeus, quando chegam a este país, exclamam surpreendidos: Oxalá houvesse na Europa também mel tão barato!

O Ministério da Agricultura argentino publicou  o seguinte  sobre a importância do mel:

“ Eminentes médicos recomendam o consumo do mel de abelha como um antídoto de muitos transtornos orgânicos.

“ O mel de abelha, além de satisfazer o paladar, vigorosa o organismo.

“ As abelhas o produzem doce, são e nutritivo.

“ Desportistas! Os romanos que foram nossos mestres nos exercícios físicos, diziam: “ Azeite por fora ( para untar-se ), mas mel por dentro   ( para alimento )”.

“ O mel de abelha contem ferro orgânico para os anêmicos.

“ O mel é um elemento ideal para os enfermos das vias digestivas”.

( Ministério da Agricultura ).

O mel é conhecido como alimento desde os tempos muitos remotos. A referência mais antiga sobre o mel encontramos no mais  velho de todos os livros de história, a saber, a Bíblia. Ele foi o importante componente da alimentação dos tempos antigos. Todos os viajantes descrevem a Palestina como um pais onde flui leite e mel.

Ali se encontram em abundância abelhas até nos lugares mais afastados das selvas. Em algumas partes da Arábia do Norte há nos desfiladeiros tantas abelhas que, quando se colocam caixões ali, enchem-se em seguida.

Nesses países se encontram diversos tipos de mel.

Afora o mel comum, vende-se um mel feito de um cozimento de uma classe de uvas, sendo um alimento muito apreciado pelos sírios e muito parecido com o mel comum.

Outro tipo é o mel vegetal, que se obtém de diversas árvores e arbustos que crescem na ilha do Sinai, na Mesopotâmia. Também das tamareiras se obtém mel. Mas de todas as classes de mel é sem dúvida, o de abelha o melhor.

O mel de abelha é composto de açúcar de uvas, açúcar de frutas, dextrina, substâncias albuminosas, cera, substâncias odoríferas e, segundo a classe de flores da qual é extraído, contém igualmente substâncias corantes, água, azeite e sais.

Nossos antepassados usavam o mel em lugar do açúcar, como medicamento, para preparar bebidas e conservar frutas. Todavia, hoje os árabes comem o mel sobre o pão.

Em casa é de grande importância o mel, especialmente como substituto do açúcar, pois é muito mais saudável. O mel concede as marmeladas, etc., um agradável e excelente gosto, e é mais nutritivo que o açúcar de cana. É sempre muito querido pelas crianças, especialmente sobre o pão.

O mel tem também valores medicinais. Mel fresco é um saudável purgante. Não há bebida mais refrescante que água com limão e mel, o que se recomenda também como excelente calmante, para as enfermidades da garganta.

Resumindo, por fim, tudo o que foi dito, podemos dizer que o mel pode ser empregado em muitos casos. Não é somente

um alimento são, mas também um meio curativo muito importante.

Mais sobre mel e abelhas em  www.abelhas.noradar.com