Curar enfermidades com a abobora – Cucurbita Pepo

Curar enfermidades com a abobora – Cucurbita Pepo

Não exageramos aqui se afirmamos que aquele que come diariamente um pedaço de abóbora crua em lugar de pão não sofrerá nunca de enfermidades da  bexiga ou hidropisia, anteposto sempre que se evitem outros alimentos prejudiciais. O que foi muito compreensível aos homens da antiguidade é hoje reconhecido pela ciência, a saber, que as abóboras são, além das propriedades curativas que possuem, o melhor meio curativo da hidropisia.

 Porém, deve-se come-la crua e em abundância, em lugar do pão, ou preparada com saladas, cortada em fatias finas sem sal, pondo-se um pouco de limão. Já depois de dois ou três dias se apresenta quase sempre  um grande aumento na expulsão da água.

Continua-se com esse tratamento durante algum tempo até se ficar completamente curado dessa enfermidade; não se deve deixar de comer, em lugar do pão, fatias de abóboras cruas. Deve provar-se que o bom gosto as abóboras tem. Também deveria procurar-se conseguir suco de abóboras de qualquer forma, para empregá-lo frequentemente como medicina natural.

“ O escrupuloso asseio é indispensável tanto á saúde física como á mental. Impurezas são constantemente expelidas do corpo por meio da pele. Seus milhões de poros ficam prontos abstruídos, a menos que se mantenham limpos mediante banhos freqüentes, e as impurezas que deviam sair pela pele se tornam mais uma sobrecarga aos outros órgãos eliminadores.

“ Muitas pessoas tirariam proveito de um banho frio ou tépido cada dia, pela manhã ou à noite. Em vez de tornar mais sujeito a resfriados, um banho devidamente tomado, fortalece contra os mesmos, porque melhora a circulação; o sangue é levado á superfície, conseguindo-se que ele aflua mais fácil e regularmente as várias partes do organismo. A mente e o corpo são igualmente revigorados. Os músculos tornam-se mais flexíveis, mais vivo o intelecto. O banho é um calmante dos nervos.

Ajuda os intestinos, o estômago e o fígado, dando saúde e energia a cada um, o que promove a digestão”  E.G. White.